26 de março de 2017

Primeiro, uma revisão da previsão da semana passada:

  • Falando do EUR/USD, na semana passada os analistas não foram capazes de dar uma previsão clara. Na verdade, o par se comportou de forma bastante lenta, e nem a reunião do BCE, nem o discurso do diretor do Fed, nem mesmo a votação do governo Trump no Congresso dos EUA sobre a reforma da saúde e revogação do Obamacare, puderam torná-lo mais dinâmico. A volatilidade do par manteve-se dentro de 100 pontos. Como se verificou, a previsão mais precisa foi dada pela análise gráfica, denotando um forte apoio no horizonte de 1,0700 (na realidade, o par caiu para 1,0720) e para a resistência de 1,0850 (na realidade, seguiu-se um aumento para 1,0824);
  • Quanto à previsão para o GBP/USD, ocorreu um cenário alternativo, suportado por 35% dos analistas. Como eles esperavam, o par continuou a tendência ascendente e subiu para 1,2530 e chegou perto dos máximos de fevereiro deste ano;
  • Quanto ao USD/JPY, a análise gráfica, junto com 40% dos analistas, esperava uma queda do par para os mínimos de fevereiro-março na área de 111,60. No entanto, a luta dos ursos para baixo foi tão forte que eles foram capazes de romper este apoio e empurrar o par mais 100 pontos. Depois que os ursos ficaram sem força e o par passou para a tendência de lado dentro do intervalo de 110,62-111,57;
  • Avaliando o futuro do par USD/CHF, a maioria dos analistas concordaram que continuaria a cair para área de 0,9870-0,9900, e esta previsão esteve correta 100%. Na quarta-feira, 22 de março, o par atingiu o fundo local em 0,9880, e completou a sessão da semana por volta de 0,9911.

 

Previsão para a próxima semana:

Resumindo as opiniões de um número de analistas de bancos líderes e corretoras, bem como as previsões feitas com base em uma ampla variedade de técnicas e métodos de análise gráfica, podemos dizer o seguinte:

  • Quanto ao EUR/USD, no final da semana passada, o par quase alcançou o limite superior do corredor, que foi lançado em novembro de 2016. É por isso que a maioria dos especialistas (60%), apoiada pela análise gráfica e osciladores em D1, acredita que uma alta maior do par, embora possível, será insignificante, e, tendo atingido a área de 1,0850-1,0900, é certo voltar para baixo. De acordo com os restantes 40% dos analistas, os touros estão sem força e na próxima semana o par deverá diminuir primeiro para o nível de 1,0650, e então ainda mais baixo, para o suporte de 1,0520;

  • Uma previsão semelhante pode ser feita para o GBP/USD. É possível que por algum tempo o par possa permanecer na faixa de 1,2420-1,2570, mas então, de acordo com 85% dos analistas, cairá aos pontos baixos de março na área de 1,2100-1,2200. Deve-se ter em mente que na quarta-feira 29 de março o governo britânico deverá lançar o processo Brexit e a reação dos principais participantes do mercado naquele momento poderá produzir algumas surpresas para os negociantes;
  • Ao prever o futuro do USD/JPY, os indicadores, apoiados pela análise gráfica em D1, votam para a tendência descendente e para uma queda do par para a zona de 108,00-109,00. Quanto aos analistas, as opiniões estão divididas igualmente - metade apoia a queda, quando a metade apoia a alta do par. Se olharmos para a previsão a médio prazo, os defensores do movimento de alta prevalecerão significativamente - cerca de 75% dos analistas votou pelo retorno do par para o limite superior do canal lateral de 2017 na altura de 115,00-115,50;
  • Quanto ao par USD/CHF, ambos os especialistas e análise gráfica esperam que ele continuará a espelhar o comportamento do EUR/USD. Assim, não é excluído que temporariamente caia para 0,9860-0,9880 com um aumento subsequente em uma tentativa de alcançar uma altura de 1,0330. Aproximadamente 70% dos analistas votaram por tal cenário.

 

Roman Butko, NordFX


« Notícias e análises do mercado
Receba
treinamento
Novo no mercado? Utilize a sessão “Educação”. Comece o treinamento
Siga-nos nas redes sociais